6 de mar de 2011

O diagnóstico, médicos e explicações...

     Com o diagnóstico de Osteossarcoma em mãos, começa a maratona de médicos de novo... O primeiro médico escolhido foi o Dr Reinaldo Gamba (in memorian) que era mestre em cirurgia e Prof. Dr. do Departamento de Ortopedia e Traumatologia do HC - Unicamp, um senhor amável que me atendeu em sua clínica e foi a primeira pessoa a me explicar o que era um osteossarcoma e como seria o tratamento... O osteossarcoma é o sarcoma primário do osso, a definição do osteossarcoma implica: um tumor maligno formador de osso com presença de um estroma francamente sarcomatoso e  a formação de osteóide neoplásico e osso pelos osteoblastos malignos. O osteossarcoma clássico ou central costuma ocorrer em adolescentes e adultos jovens. Aproximadamente metade dos osteossarcomas centrais ocorrem na região do joelho, sendo a extremidade distal do fêmur a localização mais frequente. Assim como em outros tumores ósseos, os sintomas não são específicos. A presença de dor aguda e de uma massa são frequentes. Pode haver aumento de temperatura e a presença de veias do subcutâneo dilatadas pelo crescimento do tumor. O tratamento consistia em exames constantes de acompanhamento e evolução do tumor, quimioterapia neo-adjuvante pré-operatória, o que levaria aproximadamente 12 semanas. As principais vantagens da quimioterapia pré-operatória são: a redução do edema, a diminuição do tamanho do tumor e o efeito sobre as micro-metástases; cirurgia, que pode ser ablativa (amputação) ou de preservação do membro (ressecções, endo-próteses, homo-enxertos), dependendo da resposta do tumor ao tratamento pré-operatório, da localização da lesão, da idade do paciente e da perspectiva de crescimento da extremidade; quimioterapia pós-operatória: 6 ciclos, aplicados em um período de aproximadamente 15 semanas após a cirurgia. 
     
     Vocês imaginam a rebelde aqui ouvindo as explicações do médico? Não entendia metade das coisas que ele falava, e ele falava mais ou menos como no texto aí em cima... Eu estava assustadíssima e chorando no consultório, meu pai desmaiou de susto e teve que ser medicado na própria clínica... minha mãe lá, fazendo uma força sobrehumana para não chorar, eu viro para o médico e num tom incisivo digo: Dr Reinaldo, fala em português claro comigo, quais as minhas chances? Suas chances, vou ser bem claro, não há como ser preciso, ficam em torno de 35%, podem ser maiores, ou menores... depende da sua resposta ao tratamento e de um acompanhamento detalhado...
     Eu, que já estava chorando, agora soluçava...


     Os outros médicos escolhidos foram: o dr André A. J. G. de Moraes, oncologista clínico, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica e diretor do Centro de Oncologia Campinas e a dra Dra. Mary da Silva Thereza, oncologista clínica do mesmo Centro, que me explicaram o que vinha a ser a quimioterapia... O tratamento quimioterápico (feito por meio da aplicação de um conjunto de medicamentos na veia do paciente) tem vários efeitos no corpo, como uma baixa da imunidade (capacidade do corpo de combater infecções), náuseas, vômitos, tonturas, a queda dos cabelos (e não só dos cabelos, mas dos fios do corpo todo)... O princípio dos remédios que são usados na quimioterapia é atacar as células do corpo que se proliferam rapidamente, porém, o medicamento não tem “preferência” por uma célula ou outra, por isso ataca tanto as que estão “doentes” quanto às outras que se proliferam com rapidez. No meu caso, fui avisada que ia perder os cabelos... Dra Mary, extremamente amorosa, sugeriu inclusive que eu os cortasse antes de iniciar o tratamento, para não sofrer tanto... e Dr André disse que era  importante começar o tratamento imediatamente... De novo, saio de lá chorando... e fugi...


3 comentários:

  1. Tô seguindo o seu blog :0

    Segue o meu aí :)

    http://nitro-infomatica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. como assim? volta aqui, pelo amor de Deus... como que é essa história? o tumor já sofreu metástase? Eu gostaria que o blogspot tivesse um sistema de follow mais legal, ele n avisa por e-mail nem nada qd alguém atualiza, e eu realmente queria ACOMPANHAR de verdade seu blog e n só "seguir".

    ResponderExcluir
  3. Oi! Obrigada por estar seguindo! Eu estou mt bem, livre do tumor, o blog são "olhares" por coisas q passei... Acompanhe os textos e vc entenderá!

    ResponderExcluir