28 de fev de 2011

A cena do dia!

     Bom, quem me conhece, sabe que eu reparo em gentilezas... Acho lindo! Não, não sou a pessoa mais gentil do planeta, longe disso... Bom, já cedi meu lugar numa fila para uma pessoa mais velha, já viajei em pé no ônibus para que uma mulher que carregava uma criança no colo se sentasse, já ajudei uma senhora no supermercado olhando os preços dos produtos, pois ela não os enxergava... Enfim, pequenos gestos... O fato é que reparo!
     Ser gentil é a capacidade de olhar o outro... Para mim, é o gesto de abrir uma porta, carregar um pacote, ceder o lugar, oferecer um ombro amigo, dar uma flor, enfim sensibilizar-se. Ah, sei lá, eu devo ser muito sensível, piegas e romântica... Às vezes, acho que nasci na época errada... Vai ver é isso...
     Eis que hoje fui ao médico com a minha tia, paramos o carro em frente ao consultório, uma chuva que Deus mandava, uma tempestade mesmo, não dava para descer do carro, ficamos lá esperando a chuva diminuir um pouco. Passado um tempo, vejo a cena do dia: um senhor saindo do consultório de braços dados com sua esposa, aproxima-se do carro, abre a porta para a mulher, fecha a porta, dá a volta no carro, entra e vão embora felizes! Poxa, estava chovendo, sei lá, ele podia ter ido direto sentar-se ao volante... E, no entanto, pacientemente, gentilmente foi abrir a porta para a mulher primeiro!
     Achei a cena linda! Acho realmente belo quando um homem, principalmente um homem, realiza estes gestos para com uma mulher! Pena que eu não conheça muitos homens gentis...
     Como já dizia o profeta:

José Datrino, mais conhecido como profeta Gentileza (Cafelândia, São Paulo, 11 de abril de 1917 — Mirandópolis, São Paulo, 28 de maio de 1996) foi uma personalidade urbana carioca, espécie de pregador, que tornou-se conhecido a partir de 1980 por fazer inscrições peculiares sob um viaduto no Rio de Janeiro, onde andava com uma túnica branca e longa barba. "Gentileza gera gentileza" é a sua frase mais conhecida. (Wikipédia)


Nenhum comentário:

Postar um comentário